Tudo sobre escoliose: o que é e por que acontece?



Tire suas dúvidas sobre essa deformação que pode ocorrer por diferentes fatores e em qualquer momento da vida.

A escoliose é uma deformação na coluna, causada pela rotação das vértebras que se curvam para um ou ambos os lados do tronco, formando um S ou C.

Diferentemente da lordose ou da cifose, que só são percebidas quando o indivíduo está de lado, a escoliose é percebida mesmo quando a pessoa está de frente ou de costas, pois de acordo com seu grau de deformidade, toda a estrutura do corpo pode ser afetada.

Por existirem diferentes tipos de escoliose, também existes diferentes classificações de acordo com a gravidade e a progressividade das curvas:

  • Cervicotorácicas;
  • Torácicas: o ápice da curva pode atingir essas regiões;
  • Toracolombares: com assimetria pequena na bacia;
  • Lombares: a curva primária está na região lombar;
  • Lombossacrais.

Tipos e causas da escoliose

A escoliose não acontece por conta da má postura ou por carregar muito peso, e sim, a má postura pode ser uma consequência da escoliose.

Em muitos casos percebe-se que a origem é genética e hereditária, pois outros familiares também possuem a deformação, que pode surgir em qualquer idade.

Ainda assim é considerado um problema idiopático, ou seja, em 80% dos casos as causas são desconhecidas.

Mas com a grande quantidade de casos diagnosticados, muitos padrões já foram percebidos e, portanto, diferentes tipos de escoliose são estudados, de acordo com o desenvolvimento de cada curvatura e as características de cada paciente.

Alguns dos padrões são:

Distúrbios neuromusculares

Costuma acontecer como sequela de distrofias, doenças neurológicas como paralisia cerebral e poliomielite.

As curvas da escoliose neuromuscular costumam formar um grande C na coluna.

Pós-traumática

A escoliose também pode acontecer por anomalias cromossômicas, como é o caso da síndrome de Down, e por doenças do tecido conjuntivo, como a síndrome de Marfan.

Congênita

Pode-se desenvolver escoliose por causa de má-formação de cartilagens do crescimento das vértebras ou fusão das costelas, seja durante a gestação ou nos recém-nascidos.

Degenerativa do adulto

Quando a escoliose se desenvolve na vida adulta, pode ser resultado de uma deformidade não tratada na infância ou adolescência, da degeneração dos discos da coluna ou por conta da idade avançada e seus fatores relacionados, como a osteoporose.

Mesmo quando iniciada na infância ou adolescência, a escoliose pode não apresentar grande curvatura que necessite de tratamento e às vezes nem é percebida.

Outras vezes é acompanhada pelo médico, mas não há evolução.

É possível identificar a escoliose observando:


  • Assimetria entre os dois lados do quadril e/ou dos ombros;
  • Uma perna mais curta que a outra;
  • Cintura e caixa torácica desviadas para um dos lados do corpo;
  • Assimetria dos mamilos;
  • Costelas e escápulas mais salientes em um dos lados do tórax.

Em casos mais graves, as curvaturas podem limitar a mobilidade da coluna e reduzir o espaço do tórax, provocando dificuldade no funcionamento dos sistemas cardíaco e respiratório.

Quais são os sintomas?

Nem sempre há sintomas da escoliose, ou são leves. Mas conforme o caso, além da visível curvatura na coluna, podem ser:

  • Dores nas costas depois de ficar muito tempo em uma mesma posição;
  • Dores musculares leves ou intensas, conforme o caso;
  • Problemas psicológicos e emocionais, devido às deformações causadas no corpo.

Quais são os tratamentos?

Quando o médico de fato diagnosticar um caso de lordose após realizar exame clínico e outros exames, como o raio-x, tomografia e ressonância, além do teste de Adams nos adolescentes, o tratamento dependerá de alguns fatores, como a idade do paciente, o grau da curvatura, intensidade da dor e outras características específicas.

Em geral são aplicadas técnicas de fisioterapia, como RPG para reeducação postural, uso de palmilhas ou colete, exercícios de fortalecimento muscular e estímulos elétricos com o objetivo evitar a progressão da curvatura e/ou recuperar as funções da coluna e aliviar os sintomas.

Pacientes obesos precisam passar por um processo de emagrecimento além da fisioterapia. Pode ainda ser necessário o uso de medicamentos para dor e inflamação, e em casos muito específicos, cirurgia.

Formas de prevenção

Considerando as causas da escoliose, evitá-la nem sempre é possível, mas mesmo assim é importante ter bons hábitos ao longo da vida, que começam logo na infância e incluem:

  • Alimentar-se com qualidade para evitar a obesidade e garantir a absorção de todos os nutrientes;
  • Praticar atividade física, tanto para manter o peso quanto a postura;
  • Prestar atenção na postura quando está de pé, sentado ou deitado;
  • Ir ao médico todos os anos para um checkup.

Qual é a diferença entre escoliose, lordose e cifose?

Enquanto a lordose é a curvatura excessiva para dentro ou a falta de curvatura na coluna cervical e lombar, a cifose é a curvatura excessiva para fora na coluna torácica, causando a famosa corcunda.

A escoliose é um desvio lateral que deixa a coluna em forma de S ou C e pode ocorrer em qualquer parte da coluna.

Dica: Como o pilates ajuda a corrigir escoliose?

Após o diagnóstico o médico irá definir o melhor tratamento para o paciente, conforme o grau de evolução do problema.

Caso exercícios de correção e fortalecimento sejam recomendados, o pilates pode ser uma das alternativas.

Veja uma demonstração de como é feito:

As dicas deste artigo não substituem a consulta ao médico. Lembre-se que cada organismo é único e pode reagir de forma diferente ao mencionado.

E para obter os resultados mencionados também é preciso aliar a uma vida e alimentação saudável e equilibrada.



Comentar

6 + catorze =

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.